16/11/2018 91983732733

Manchetes

A revolta dos cabanos: Sua origem e desfecho.

Por Planeta Pará 03/11/2018 às 19:51:18

Antes de começar a contar sobre esse fato histórico,quero falar do tempo que eu era apenas uma criança e passeando com minha mãe,vi perto da minha casa um monumento que me chamava atenção por ser criança e querer subir nele pra brincar.

Na época,eu nem sabia o significado daquele memorial,mas hoje eu venho aqui contar sobre essa luta que deu origem a esse monumento que poucas pessoas sabem realmente o seu valor simbólico.

A cabanagem foi um dos conflitos populares mais intensos, e com maior número de vítimas fatais acontecidos no Brasil Império.

Para entender o contexto dessa revolta, antes de tudo, é preciso saber que naquele momento, durante o Império, o Brasil vivia o período regencial. Em 1981 Dom Pedro I abdicou do poder, deixando seu filho como herdeiro do trono.

Na época, Dom Pedro II tinha apenas cinco anos de idade, por isso, foi instaurada a regência. Assim, o país foi governado por regentes até 1840.

 A revolta dos cabanos,portanto, se insere na história brasileira como mais uma página de revolta popular contra o governo, exemplo da readequação social e política brasileira do período imperial e na luta contra a escravidão.


 Justamente pelo tamanho do território, o conflito teve uma grande abrangência, espalhando-se por importantes rios da região, como o Rio Amazonas e o Rio Tocantins. O nome da revolta é um termo depreciativo, relacionado ao tipo de moradia usual daquela região, que eram as chamadas palafitas ou cabanas.Os chamados cabanos eram formados, em sua maioria, índios, brancos e mestiços, além de negros fugidos e sustentavam esse nome porque moravam em cabanas no meio do mato.

 Tudo começou assim:

A situação dos cabanos e da parte pobre da população da província era de total descaso e miséria nessa época, sem as mínimas condições adequadas para sobreviver e sem trabalho. Revoltados com tal abandono pelo governo, eles se uniram aos fazendeiros e comerciantes da região que também estavam descontentes com o novo presidente eleito para a província, que não satisfazia a elite. E a despeito das causas diferentes, os cabanos reivindicavam melhores condições de vida e trabalho, e a elite procurava maior participação nas decisões politico administrativas da província, ambos se uniram num movimento de protesto pela independência da província do Grão-Pará.

Ocorreu entre os anos de 1835 e 1840 na província do Grão-Pará (hoje, estado do Pará, região Norte do Brasil.

Como consequência da cabanagem metade da população masculina da região foi morta e muitas tribos foram dizimadas. O movimento resistiu no interior da Amazônia, mas aconteceu por meio de guerrilhas.O governo regencial organizou numerosa força militar para enfrentar a rebelião. Comandada por Manuel Jorge Rodrigues, e contando com o apoio do próprio Francisco Vinagre, as tropas do governamentais tomaram Belém. 

Quando Malcher e Vinagre Chegaram a se opor e até mesmo a reprimir Eduardo Angelim e Vicente Ferreira Lavor, tentando deportá-los. Malcher tentou um golpe, mas foi executado e substituído por Francisco Vinagre. Surpreendentemente.

CONSEQUÊNCIAS

 A principal consequência da cabanagem foi a derrota dos manifestantes sem alcançarem nenhum dos seus objetivos e o resultado direto da cabanagem foi a morte de cerca de 30 mil pessoas. Além disso, a cidade de Belém ficou destruída, e teve vários prédios e casas queimados.

BELÉM DOMINADA

As autoridades nomeadas pelo governo central para governar a província do Pará temiam as constantes revoltas sociais. Muitas chegaram a abandonar os cargos.Depois da revolta e da cidade de Belém ficar destruída e grande parte da população ter sido dizimada.

A consequência mais marcante da cabanagem foi uma grande diminuição da taxa habitacional do Pará. Tentaram estabelecer um governo revolucionário estável e capaz de governar a província. Mas a tentativa foi novamente frustrada por traições e conflitos entre os líderes do movimento.


Esse é o monumento sobre o qual eu comecei a falar no início dessa matéria.

O Memorial da Cabanagem foi inaugurado em 7 de janeiro de 1985, marcando as comemorações dos 150 anos do movimento que ocorreu na então província do Grão-Pará, durante a época imperial no Brasil. O monumento, projetado pelo arquiteto Oscar Niemayer e executado pela Secretaria de Estado de Viação e Obras Públicas, tendo a frente o engenheiro Manoel Acácio, foi constituído em estrutura de concreto armado, em um período de quatro meses.

Para Oscar Niemeyer "o monumento representa a luta heroica da Cabanagem, aniquilada pelas forças de reação, mas ainda de pé na memória de nosso povo". O arquiteto detalhou ainda que "a bela lâmina de concreto representa a Cabanagem, acompanhando o caminho da História para o infinito; a grande fissura existente significa o momento de ruptura dessa mesma História, quando a Revolução foi esmagada, porém, como continua viva na memória do povo do Pará, também continua seguindo o caminho da História para o infinito".

Infelizmente algo que foi construído para nos lembrar da importância da luta por nossos objetivos se encontra hoje em total bandono e o perigo, pichações e sujeira dominam o Memorial da Cabanagem.

Espero que quem não conhecia essa parte da história pesquise mais e valorize cada luta,cada vida perdida e tome como exemplo que mesmo falhando somos vencedores quando lutamos por algo em que acreditamos ser para um bem maior.

Amor,Gratidão e fé.

Débora Barroso

Deixo aqui um video e vocês podem ir ao teatro assistir a peça que fala sobre essa história.

Cabanos, Uma Viagem no Tempo". A peça retrata o importante acontecimento da história do Pará, vivido pelo bravo povo paraense, a Cabanagem. Essa foi a primeira e única vez que a população em armas assumiu o poder no Brasil.

comentários
60406910-1