16/11/2018 91983732733

Polícia

Justiça decreta prisão de policial que agrediu mesária ao achar que urna estava fraudada

Ao invés de digitar o número do candidato ao governo do estado, tentou registrar o número do candidato a presidência

Por Silvano Viana 29/10/2018 às 19:43:05


A justiça eleitoral pediu a prisão do policial da reserva Paulo Roberto Duarte Pereira que agrediu uma mesária durante votação do 2º turno no último domingo (28) no bairro do Tenoné, em Belém.

O policial se equivocou na hora de votação, ao invés de digitar o número do candidato ao governo do estado, tentou registrar o número do candidato a presidência, mas a urna eleitoral acusou voto nulo.

Com um celular, o eleitor filmou o voto na urna eletrônica, causou tumulto na seção eleitoral, inclusive empurrou uma mesária que tentou impedi-lo de registrar o voto. Nas imagens, a tela da urna mostra a opção de voto para governador, o número 17 e a mensagem de 'voto nulo'. Isso ocorre porque, no Pará, não há candidato para governador com o número 17.

Ele, então, fez um vídeo para denunciar o que achou ser uma fraude no processo eleitoral. Ele ainda filma outros eleitores na fila e diz que "estão falsificando as urnas, 17 está aparecendo nulo". O eleitor diz que estava tentando votar para presidente. 

Diante da cena, a supervisora da mesa alertou o eleitor que é proibido registrar o voto, e foi empurrada. A Polícia Militar foi acionada, mas o eleitor se apresentou como PM da reserva e não foi preso por motivos hierárquicos, segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA).

A juíza da 97ª Zona Eleitoral, Ana Patrícia Mendes, determinou a busca do eleitor para que ele seja autuado em flagrante. O TRE informou ainda que, caso a prisão não seja realizada em 24 horas, um inquérito será instaurado com as informações dos acontecimentos que foram registrados em ata.


Veja o vídeo


comentários
60406910-1